NOTÍCIAS

Universitários 16:33, 3 mar 2020 Escola estadual homenageia 70 alunos aprovados nas universidades públicas do Amazonas

Escola estadual homenageia 70 alunos aprovados nas universidades públicas do Amazonas

Estudantes da rede pública seguirão os estudos em universidade estaduais e federais

Em um momento único e cheio de emoção, a Escola Estadual Ruth Prestes Gonçalves homenageou 70 alunos que foram aprovados em universidades públicas do Amazonas e mostrou todo o apoio e incentivo àqueles que, em 2020, enfrentarão o Enem e demais vestibulares em busca do sonho da universidade. A festa dos aprovados aconteceu na própria unidade de ensino e reuniu pais, professores e comunidade escolar, além dos estudantes egressos.

Na ocasião, os alunos, agora acadêmicos, colocaram suas “estrelas” na fachada da escola, onde se tornarão inspiração aos futuros aprovados.

Victoria Raquel, de 18 anos, aprovada no curso de Direito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), afirma que o momento de prestígio é importante, principalmente, por parte da unidade escolar em que passou os três anos do ensino médio. “É muito legal ter esse reconhecimento da minha antiga escola, onde passei os três anos do meu ensino médio e onde, obviamente, houve a contribuição para a minha aprovação”, conta.

Victoria destaca que a aprovação serve, ainda, de motivação para os estudantes que devem realizar as provas em 2020. “É importante incentivar os terceiros anos a seguirem pelo mesmo caminho de aprovação, tanto na Ufam quando na UEA, pois ambas são faculdades muito boas”, afirma.

Já João Victor Feitosa, 19, explica que realizou dois exames para admissão na universidade, sendo aprovado em ambos. “Eu resolvi optar por Administração e, apesar da dificuldade que devo enfrentar, acredito que vai dar certo. Inclusive, já estou esperando o início das aulas, realizando pesquisas e leituras de livros”, revela.

O gestor da Escola Estadual Ruth Prestes Gonçalves, Sérgio Façanha, reforça que a homenagem é um compromisso assumido com todos os estudantes. “Este é um compromisso firmado entre nós educadores e a comunidade, principalmente, com as famílias e os alunos que estudam aqui. É um momento em que nós apresentamos os resultados de um trabalho qualitativo, porque nós, escola, temos a preocupação com os índices de aprovação e de evasão. Estes dados refletem como o aluno deve ser inserido a sociedade após o ensino médio”, enfatiza.